Pablo Falabela

Pablo Falabela

Eu sou meu próprio mistério,
Talvez o interlúdio da dor
Daquele que canta escondido.

 

 

 

Sou poeta introvertido:
Ao me ditarem \"poesia\",
Som que desconhecia
Digo: Como escrevo isso?

 

 

 

E entre os versos sucessivos
Vão passando as estações.
Mas serei pra sempre o mesmo:

 

 

 

- Um errante andando a esmo
Em constantes mutações...

 

 

 

Sou o garoto calado
Que vence nos argumentos,
Pois sabe o que está falando!

 

 

 

Sou a essência do silêncio:
Vazio, porém profundo
Em meu próprio transbordamento...

"Tão importante quanto conquistar é saber tomar posse."

💬   Fale com o Poeta

Poesias de Pablo Falabela

Título Data Com.
Desmontado 12/10/2008 3
Ser Mulher (a 4 mãos) 19/02/2007 4
Nossa Guerra 27/12/2006 3
Carta 10/11/2006 5
Ao Profeta do Vento (a 4 mãos) 05/10/2006 3
Anseio 05/10/2006 3
Queda d'água 26/10/2005 5
Vale a Pena Esperar 10/10/2005 11
Das Ambições 10/10/2005 2
Amor em Perfeição... 06/10/2005 5
Soneto em Fá Maior 05/10/2005 1
Ilusão de Ótica 28/09/2005 3
Trilha... 26/09/2005 4
Não é mais cedo demais (a 4 mãos) 26/08/2005 4
Jardim Secreto 24/08/2005 3
Serenata 27/09/2003 4
Reflexões... 17/08/2005 1
Carpe Dizem 12/08/2005 1
Palavra: Sinônimo de Tudo... 25/07/2005 4
De Novo... 29/06/2005 4