Site de Poesias

Menu

Ampulheta de madeira II

Varreremos os quartos, é a hora da luz.
Faremos o parto, e o nascimento conduz.
Que nesta vida encontremos um ciclo
  no mágico círculo que criam-se as formas.

No útero fértil que contém esta terra,
esta origem, esta nova vida feito mina,
onde toda preciosidade se encontra.

E a madeira que guarda o tempo
se inverte outra vez: um recomeço!
A segunda era, a semente germinada,
os ventos tragam a nuvem, e a chuva.

Tomemos o cálice do viver...
e que as velas levem os sonhos.
Ao apagar da luz, a troca de energia...
e que tudo nasça agora com magia.

Compartilhar
Gabrielle Portella
31/10/2011