Site de Poesias

Menu

Maneiras

Existe, por certo, uma conspiração universal. É fato! É triste! É comum: tem sempre por perto um cidadão boçal, pronto pra pisar no meu calo. Eu falo: um dia eu mato um! Um dia eu desconto sem pensar no primeiro mané que encontrar, um soco certeiro, de deixar sem ar (e ainda vai ser pouco), pra ele parar de moscar como um louco delirante bem no fim da escada rolante!

Não respondo por mim!!

Se voltar a falar, vai pensar muitas vezes antes de gritar na lotação (sem-noção!!!); vai passar meses sem cuspir no chão (chovinista!!!! diria o Cascão...) - e a lista do incomodar poderia crescer sem parar... Barbaridades pilotando carros, acendendo cigarros, entupindo as cidades: prestrando maus serviços, vivendo de mau humor, exibindo a dor de um existir omisso, sem cor, sem compromisso...

Sem pensar em mais ninguém!!!!!

Quebrando a corrente do bem, tratam gente como bicho, tratam tudo como lixo, exalando o desrespeito que levam guardado no peito. Descontando sua insignificância no alheio, demonstram sua ignorância sem receio ou preocupação...

Ah, mané! larga do meu pé, vacilão! prometo que um dia eu te meto a mão...

Compartilhar

É brincadeira, gente, pelo amor de não-sei-o-que-lá... Sou anti-agressão.

Engenheiro Italiano
21/02/2007