Sementes de amor

A semente gloriosa da flor amor,

Brotou no solo fértil do coração disposto a amar,

Que chorou de alegria,

Por sentir que aquela flor o enfeitava

E dia e noite exalava o seu perfume

E exibia a sua cor,

Atraindo as abelhas e os beija-flores

E estes, juntamente com as abelhas zumbindo, a beijavam,

E, assim, levavam para o mundo o pólen do amor,

Justamente para surgirem outras sementes.

Que trariam felicidade a outros corações,

Sem outras intenções que não a de espalhar o amor somente.

Paulo Roberto Varuzza
© Todos os direitos reservados