" O MESMO VENTO "

Na varanda do meu quarto deitada em uma rede vendo do alto o balanço das árvores. O vento bateu em meu rosto, tive a leve sensação de uma presença... E ao olhar pro lado você estava ali, me acalmou em um abraço! Lembro-me como se fosse hoje, uma bermuda clara, boné na mão e um sorriso largo encantador. Olhando em meus olhos, falou: Estou aqui amor! Que felicidade senti... Você usava palavras doces, seus toques suaves e carinhosos... ...era a imagem perfeita do amor! Todos os dias na mesma hora nos encontrávamos lá... Você deitava comigo e me ouvia falar, me fazia carinho sem nada cobrar... Teu cheiro, me trazia uma paz! Quando pegava em minhas mãos e me convidava a dançar, era como se o mundo pudesse acabar... Passávamos horas andando em um gramado verde, onde haviam árvores lindas com folhas caídas ao chão... ...folhas que o vento derrubou, o mesmo vento que bateu em meu rosto aquele dia e que bate agora! Estou a te procurar, mas não o encontro em lugar algum. Está tudo tão claro e ao mesmo tempo tão confuso! Estou no meu quarto agora, fecho os olhos e não vejo a varanda, a rede também não está lá e as árvores que o vento balançou, não balançam mais... Abro a janela, o vento insiste em entrar, sinto uma leve sensação que me faz despertar... Aquela varanda nunca esteve lá!


• ( 19 ) 13/03/2015
Instagram - @_trouxe_poesia_

Dedicado a todos que já tiveram essa sensação...
Thais Toledo ( Nega )
© Todos os direitos reservados