Amore Nosso!

Amore Nosso!

Abençoado seja tu, meu amante
aquele que toca meu etéreo ser
um ser que anda nas sombras
penumbra gótica da minh'alma
que se expõe e se expande
conforme você me chama docemente
Não sou bem eu essa, veja:
é uma outra constituição!
Mas que existe com autonomia,
faz morada aqui dentro ...
Uma que me invade
impulsionada pelo defeito
é um bum no meu cérebro
nesse sistema ilógico
minha perfeição acaba em dízima periódica
Sombra é ausência de luz
com isso se deduz e compreendo
que algo vira meu inconsciente do avesso
e coloca essa outra de dentro pra fora
essa que urdi e me explora
quando escuta você me chamar sensualmente
Abençoado seja tu, meu amante
para que se liberte dela e ela de ti
Pois és aquele que me toca
e pensa que fala meu nome
julgando que é a mim que tem
Você não sabe de nada!

Obgda pela visita!
Fiz carinha feliz!
Elisa Gasparini
© Todos os direitos reservados