Site de Poesias

Menu

Sem pudores

[Ilustração não carregada]

Vagueio esguio e temeroso
Pelas turbulências noturnas
Escorregando meus olhares
Pelas ladeiras dividas entre
Risos e dores.
Sob o capacho da soleira
Encontro a minha sorte.
Um sorriso moreno e quente
Aguarda-me por de traz da porta,
É uma bela e doce donzela virgem
Que seminua sobre a cama
Se abre, e sem nenhum pudor
Expõe os seus segredos.
Eu, timidamente me aconchego,
O riso se expande e os ais
Compõe-se em suaves caricias
Que desfazem os meus medos.

Compartilhar

Obrigado pelo carinho da visita ao saírem deixe um comentário ou uma simples critica.

Jose Aparecido Botacini
17/02/2009