VELÓRIO

VELÓRIO   Eis me aqui velando O nosso amor que morre à míngua
 Morreu ontem
 E hoje ainda
Desfila na minha memória
 Histórias lindas
Morre sem deixar herança
 Nem uma poesia bonita
Resta me apenas um adeus
 Por uma mensagem fria
Um email anunciando 
Que a sua vida finda
Em vão
pranteio o caixão Cheio de lembranças
Em vão
choro por um amor
Que já se esvai
Esse nosso amor
Que já foi criança
Hoje amadurecido
Sem despedida jaz
Tenho por consolo
Nossa poesia mais bela
Escrita por nós
Mal sabe ela ...
Que de fato é a eleita
Feito a  donzela
Dos contos de amores
E somente ela...
Me seca as lágrimas 
E me cura as dores.

ANAVI
© Todos os direitos reservados