RECOMENDAÇÃO

RECOMENDAÇÃO

Não leia os meus poemas se você não quer saber de amor
Se não acredita nele, nunca o viveu, não quer viver
Ou queira ler algo que alguém nunca falou a respeito de tal sentimento!
Você não vai querer ler os meus poemas se deles
Esperar alguma rima, escansão, conclusão ou mesmo ‘sentido’.
Se não quiser ver algumas colegiais ‘fazendo baldeação’ entre um verso e outro...!
Não vai querer saber de meus poemas se não quiser
Ver deslizes gramaticais ou queira ver qualquer perfeição...
Mas vai querer ler os meus poemas se quiser saber um pouco mais
Sobre a paixão!

Não leia os meus poemas se não for uma criança como ainda sou
E não entender a importância das fadas, não quiser saber
O que há além do arco-íris e não quiser trilhar pelas estâncias de Utopia
Entre esses versos!
Não queira ler os meus poemas se não crê nos sonhos, nas coisas impossíveis
E nunca teve uma paixão mal resolvida!
São poemas de quem não acredita na guerra, de quem pode jurar ter visto Deus
No milagre de um simples e cotidiano despertar matutino...!
Poemas escritos com o coração, e quem precisar de um motivo para sorrir
E com tudo quiser lucrar nunca irá compreendê-los!

Não leia os meus poemas se quiser ler uma grande obra, um grande mestre,
Um gênio ou mesmo 'um poeta'!
Leia os meus poemas se quiser saber sobre os shorts de babado de Adriana, Zanza Moreira, Adélia com seus caracóis, aquela longa saia de linho e seus beijos com gosto de tudo aquilo que também só fantasio...!
Se quiser saber sobre o cheiro estranho e bom da madeira dessa mesa onde escrevo...
Não leia os meus poemas se não quiser saber a cor do interior do trem azul,
O que parafraseei do livro vermelho das guardas de Mao
E o que conspira a 'direita de meu cérebro'!

São poemas de um sonhador a voar com asas de imaginação tendo a poesia como brevê
Poemas de um sátiro trovador a tocar e ‘masturbar’ seu pífano em louvor de saias passantes e ‘protestantes’!
Não leia os meus poemas se nunca sofreu por amor e também não se compadece
De quem tem essa estranha mania!
Não vai querer ler os meus poemas quem sabe qual é o sentido da vida,
Quem nunca viu, nunca cheirou, provou ou não sabe e nem quer saber
O que é um borogodó!
Quem nunca esteve diante, pegou, não conhece a textura e não sabe identificar um parangolé!
Quem não quiser navegar em mares nunca 'Dantes Alighieris’, ‘Antonellis’, conhecer outros Infernos astrais, vastos mundos, Raimundos, palmeiras e sabiás!
Poemas sobre pessoas de meu conhecimento e que passo a apresentá-los!
Sobre mulheres que nunca tive e que agora passam a ‘ser de todos’!
Coisas de foro íntimo e ‘abissal’, escritas com um tinteiro ‘cheio de hormônios’
e com pluma de passista de carnaval!
Odes escritas com versos livres, ‘poeticamente alforriados’, rasurados, com riffs, Bpms, citações ou ‘sampleados’!
Meus poemas parecem não ser para qualquer um, mas não possuem restrição
E são ‘grande coisa’ por serem longos!
São coisas de 'foro público', escritas em versos e de forma ‘prosaica’...
são como os Salmos do Senhor, ‘pontos de macumba’ e letras de samba-canção!
Meus poemas não são grande coisa, são só poesia, são livres como tudo o que nasce...
Então leia os meus poemas se você quiser!

*MAIS DE MIM EM:
REINO LÍRICO (gustavoreymond.blogspot.com)

DAN GUSTAVO
© Todos os direitos reservados