É DESERTO

É DESERTO

É DESERTO
No deserto das minhas paixões,
um vácuo se aproxima considerávelmente
à minha entranha.
Um aglomerado de sentimentos parado no tempo,
se transforma em ecos de emoções,
visivelmente superficiais para minha realidade.
Fico parada em minha mesmice,
mudo minha postura romântica,
em especular você  no teu espaço,
em querer te conquistar.
Na veracidade dos meus pensamentos,
você será a miragem inspiradora,
uma frenesi de paixões.
Tenho sede de amar no deserto,
tenho ânsia de aventuras,
caçadora de histórias reais e virtuais,
mergulho nos sonhos pirotécnico,
idealizo eventos mágicos,
na cadência quase sensual
dos meus passos incertos,,
uma poesia irreverente e neutra
sem atingir teu coração.
Apenas um deserto de palavras sem anexo.
Mas você na sua invisibilidade,
pode reescrever minha memória..

soraia
Ciganita

O deserto
Que atravessei
Ninguém me viu passar
Estranha e só
Nem pude ver
Que o céu é maior
Tentei dizer mas vi você
Tão longe de chegar
Mas perto de algum lugar

É deserto
Onde eu te encontrei
Você me viu passar
Correndo só
Nem pude ver
Que o tempo é maior
Olhei pra mim
Me vi assim
Tão perto de chegar
Onde você não está
No silêncio uma catedral
Um templo em mim
Onde eu possa ser imortal
Mas vai existir
Eu sei
Vai ter que existir
Vai resistir nosso lugar
Solidão
Quem pode evitar
Te encontro enfim
Meu coração é secular
Sonha e deságua
Dentro de mim
Amanhã devagar
Me diz
Como voltar

Se eu disser
Que foi por amor
Não vou mentir pra mim
Se eu disser
Deixa pra depois
Não foi sempre assim
Tentei dizer
Mas vi você
Tão longe de chegar
Mas perto de algum lugar...

no meu quarto

Cigana
© Todos os direitos reservados