Site de Poesias

Menu

Na travessa da vida

Na travessa escura,
Andando sem rumo,
Não vejo saída,
Nem mesmo escape.

Passos em falso,
Cabisbaixo,
Suspiros ofegantes,
Sem saber onde chegar.

Uma dor que aperta o peito,
Angústia, silêncio,
falta de esperança
E desilusão.

Tentei me encontrar,
Mas, sozinho,
Não tive forças
Para perseverar.

Tentei ser o que os
Outros queriam que eu fosse.
Bem, eu só queria mesmo
Era poder agradar a todos.

Não consegui!
Quem estava errado?
Eu? - com minhas singelas máscaras? -
Ou aqueles que não me valorizaram?

De quem é a culpa?
Quem é o culpado?
Eu? Você? Nós? Eles?
Não sei responder!

Penso que meu desejo
Seja encontrar um culpado
Para arrancar a culpa
Que toma conta de mim.

Sim, eu tive;
Tive chances de recomeçar,
Chances para tentar e
Oportunidades para conquistar.

Pude provar do bom,
E também do ruim,
Pude provar do ter
E também do ser.

Mas, do que me adianta
Tudo isso se nem lembro
Onde deixei cair
A minha identidade?

Prostro-me e humildemente
Peço auxílio.
Digo: Senhor, ajuda-me. Restaura-me. Abraça-me.
Sara-me. Cura-me. Transforma-me. Ensina-me.

Lágrimas percorrem meu rosto,
E logo, sinto um abraço e uma doce voz dizendo:
Meu filho, não temas, Eu sou contigo
Por onde quer que fores.

Estarei sempre do Teu lado e
Jamais te abandonarei.
Farei de Ti um manancial de águas vivas
Que jorrem para vida eterna.

Onde colocares a planta dos teus pés,
Alí será abençoado,
E o que pedires em meu Nome, crendo, Eu o farei,
Para glória e honra do Meu Nome.

Levanta-te agora,
Seja curado, Seja restaurado,
Seja transformado.
Receba vida em abundância!

Levanto-me e percebo
Que a paz do Senhor
Invadiu o meu peito,
E que já não sou mais meu.

Percebo que não estou mais só,
Mas Ele está comigo,
Me guardando, me confortando,
Me ajudando e me direcionando.

Agora, sou somente Teu, Senhor,
Viverei para Teu louvor.
Usa-me e capacita-me a sonhar
E viver os Teus sonhos e planos.

Compartilhar
Junior Della Mea
10/01/2008