Meu Caos

Eu vivo fugindo

Eu corro de um lado para o outro

Eu me deparo do mesmo lado

 

Eu choro de tanto rir

E depois dou risada dos meus dramas

 

Nunca é só chuva

Nunca é só sol

Tudo é uma bagunça

Tudo vira pó

 

Existir é um dom

Eles disseram

Só não disseram que dói

 

Levantar

Correr

Fazer

Viver

 

Nunca entendi o por que

 

A vida acaba me lançando de volta

Ela me arrasta outra vez

E eu que recebi o dom do livre arbítrio

Me sinto um fantoche

Marionete do destino

 

Não brinco

Me custa ser eu

Me custa olha o céu

E saber que como um grão de areia

Sou tão importante quanto não sou.

 

Alana Lima
© Todos os direitos reservados