A CIDADE II

 
A CIDADE II
A cidade voltou ao seu normal
após uma breve interrupção
da semana santa.

A cidade volta a seguir  o seu caminho
onde nada pode parar.

A cidade envolve diversas profissionais
com suas especificas funções ou multifunções

Quando algo não funciona a cidade perde
seu embalo, desacelera, ela acorda
para o algo que interrompeu, sua agitação
dentro da sua normalização.

A cidade desacelerou, algo agitou
preocupou,o tubo quebrou, a água jorrou
se desperdiçou, e para os lares não
voltou.

A cidade acordou quando sentiu falta
do corriqueiro, a água na torneira
a cidade não perde o seu embalo
com os crimes, com as tragédias
da vida, faz parte do dia a dia.

A cidade não acorda diante da falta
de condições  na saúde, na educação pública
já se tornou "normal", já embalou no sono profundo
tudo é uma questão de costume.

A cidade de vez em quando acorda
para as questões políticas específicas,
ela vai se encher de alegria, vai gritar
contra as roubalheiras, a corrupção
do PT na Petrobrás do Brasil.

A cidade quer um país não enganoso
para todo o povo

As bandeiras vão tremular por por um grito
de indignação.

A cidade é assim tem alguns momentos
de euforia, mas seu maior tempo
é ficar na letargia.

A cidade tem seus atrativos, seus belos
monumentos, suas belas praias tão
cheias de encantos.

Aqui estão elas, praia do porto da barra,
de itapoan, jaguaribe, stella maris, praia do flamengo,
praia do forte.

Seus encantos nos monumentos também  faz
qualquer coração desmanchar,
o pelourinho é um espaço que se encontra
ainda na história, mercado modelo tem seu chamariz
que encanta todo país e tantos estrangeiros.
Elevador Lacerda tem sua particularidade
encanta toda cidade.
O campo Grande com seus Caboclos lembra
todo um contexto histórico que se comemora
a vitória da independência.
A Praça Castro Alves, que bela homenagem,
o poeta tão cheio de lirismo  e no combate
ao escravismo.
O farol da barra ao farol de itapoan, belos
monumentos com suas luzes vigilantes
foram importantes na defesa da cidade.

A igreja do Bonfim tantas missas realizadas,
tantas promessas feitas com fé e devoção
tudo faz parte desse povo que engrandece
essa nação.

A igreja da Barroquinha tantas foram também
as fés depositadas em cada lágrima derramada

A cidade tem a beleza dos Orixás que tanto brilho
dá a religiosidade, o jeito de ser do seu seguidor
com sua roupa branca na sexta feira, os Orixás
são tantos entre eles, destacam-se Iemanjá e Santa Barbara

A cidade é assim com sua diversidade, enriquece essa
cultura, mas existe a intolerância,a ignorância contra essa
riqueza de cultura que desafia a magia da evolução que
estão na contramão da história.

A cidade gosta de festa, da alegria, as vezes pensa que tudo
é fantasia.

A cidade tem seus problemas sociais, étnicos, homofobia,
nada é fantasia.

Cidade do Axé e outros ritmos musicais e com tantas
gingas satisfaz.

A cidade é assim com suas contradições esse preço
histórico que não beneficiou a educação que
ficou na contramão junto com a nação.
 

José Marcos di Ayres
© Todos os direitos reservados