Site de Poesias

Menu

Congelamento em Culpa

A porta se manteve trancada por tempos indetermináveis.
E eu já não queria contar a verdade.
Trancada para eles não entrarem novamente e ferirem.
Porque eu sei que eu jamais poderia sentir.


O vazio que havia além da porta, era aquilo, era o fim.
Porque eu também tenho um vazio.
O vazio era um sentimento tão feio, mas tão lindo.
E eu já me cansei de ser o vazio.

 

E era o vazio e era a culpa dentro de um mesmo ser.
Porque nada mais importa quando o frio toma conta de um músculo cardíaco.

Porque quando o músculo cardíaco está congelado em culpa,
é quando já não basta mais nada.
Por veneno e cortes por culpas e vazio,
aquele sentimento ficou trancado do lado de dentro.


Por um vazio cheio de culpa onde cortes e venenos não são o bastante,
eu posso sair por onde eu quiser,
eu posso conhecer...


Eu posso conhecer novos sentimentos, eu posso sentir,
eu posso procurar por ódio,
posso procurar por felicidade.

Eu posso procurar por
                                              você
                                                         em uma pilha de sentimentos descartáveis,
                  mas nesse momento eu acho que meu conto de fadas
                                                                                                         já virou meu pior pesadelo.

Compartilhar

02/10/2008