Site de Poesias

Menu

Sabor Morno

O corpo sente a dor

O mar é o lar das chuvas mornas

A grama intensa cobre o espinhadeiro

Com o tocar do orvalho na relva 

Sobre as pedras que rolam sem atrito

Me sinto como um vulcão !

No mergulhar bem fundo da paixão

Meu corpo em seu corpo 

Num levitar no mar

A velocidade sorrateira do luar..

Me entrego em sua entrega

Selando nossos desejos

Seu olhar retrata campos cloridos

Sua boca um mundo de sonhos...

Transforma o abstrato em concreto

Exalando o sabor Morno de seu perfume 

 Nas areias quentes do mar em mel!!

Célia Guímaro.

Compartilhar
Célia Guímaro
29/06/2020