Site de Poesias

Menu

mente aberta

meu caraçâo quase sem vida e quase sem pulsar,meus olvidos ja nao escutam mais,minha respiraçâo fica cada vez mais fraca,minha vida sem folego,em minha mente ja nao penso em mais nada.o que carrego comigo sao apenas magoas,mais nao os culpo pois sou humano o que posso fazer é apenas perdoar meus inimigos talves,mais jamais irei esquecer o nome deles,motivos nao sei.....agora vejo que em meu peito volta a pulsar com vida,olvidos prefiro comtinuar sem olvir minha mente comtinua vazia,minha boca sinto o gosto amargo de presensiar tanta hipocrizia,meus olhos ficam cegos com tanta falsidade...agora o que era um coraçao..se torna podre e de pedra....

Poesias de mente aberta

Título Data Com. Vis.
rosas brancas 30/09/2009 0 89