Site de Poesias

Menu

Dama do Silencio

Sou adulta. Quase 30, Borderline foi assim que o medico falou. Quem sou? Não sei. Caminho sozinha, com medo, com lagrimas e sorridente para ninguém perceber. Que bela moça dizem todos; não sabem o que se passa sob meu sorriso. Cicatrizes se escondem em minha roupa, mas que bela moça dizem todos, que sorriso fascinante e contagiante, mas não fazem ideia do sangue que escorre sob a roupa.
Bela moça. É o que dizem; tão carinhosa eles comentam. Uma morta viva, essa é a verdade, no fundo do poço, chorando, esperando pela morte e torcendo pelo fim. Dói sabia? Dói ser uma bomba relógio prestes a explodir e ferir as pessoas. Dói muito mesmo.
Bela moça eles olham. Se apaixonam e se declaram, eu fujo, me escondo, me calo; prefiro a solidão. A solidão não protege a mim, protege os outros de mim. Perdi a noção da realidade, já não sei quando estou dormindo ou quando estou acordada, mas bela moça eles dizem; Bela presa fácil e sem rumo perdida em um mundo escuro, sem som, com gritos, mudo e falante, totalmente irritante e dolorido.
Mas bela moça, é o que todos dizem.
Dama do Silêncio


Sim, é tudo verdade e se você me visse também diria " Bela Moça".

Poesias de Dama do Silencio

Título Data Com. Vis.
Borderline 13/10/2019 0 --
Sob cachos 10/10/2019 0 --