Site de Poesias

Menu

João Rumão

Sou filho do "Homem da estrada" com a "Vióla enluarada, ( D I A D O R I M), nascido da seda rasgada do colo da madrugada, envenenado no mangue.


 

 


 

 


 

 


 

Sou caboclo em tempo exangue vertido em verso e tutano.


 

 


 

 


 

 


 

Rumão de todos os rumos sem temor ou desengano, no beiço do inacabado


 

 


 

 


 

 


 

Impulsivo, acaltelado ao contrário dos ditados que ficam sempre pulsando


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

Só canto de encantamento pois sei que é nesse momento que fico lobizomano.


 

 


 

 

Muito prazer! 
 

 

 


           *   *     *    *

 

 

 

 

 

 

 

 


Explicação do termo LOBIZOMAR; Verbo. Conversar após a hora grande, a respeito de assuntos insólitos

 

 

 

 

  • "Os grandes vultos da história não tem nome os grandes nomes da historia são apenas sombras"

Poesias de João Rumão

Título Data Com. Vis.
CARTAS NA MESMA 30/09/2011 0 31
DIA DOS DIAS 28/09/2011 0 39
JUIZO INAUGURAL 28/09/2011 1 35
N U A N C E S 27/09/2011 1 61
MORTE E RESSURREIÇÃO DE DOM RUMÃO, UM PERSONAGEM POÉTICO QUE FINGE FINGIR. 01/08/2011 0 55
PÉROLAS AOS VENTOS 01/08/2011 1 61
CORTES NO ESCURO 12/07/2011 1 56
LUGAR NENHUM 12/07/2011 2 90
COISA DE CINEMA! 12/07/2011 1 96
PESTE ENCANTADA 08/07/2011 0 51
PEDRAS DE FOGO 07/07/2011 4 115