Site de Poesias

Menu

Hannah Otto

Sou uma alma errante, de forma indefinida,
para quê dar fim?
Se nada tem fim,
só muda de nome....
Possuo muitas formas,
posso ser perversa, posso ser benévola.
Posso ser frívola por encontrar amores imperfeitos
Posso ser sábia e paciente
Posso ser obtusa e intolerante
Depende daquilo que vocês desejarem despertar em mim
Posso ser todas as coisas,
posso ter todas as idades
pois tive muitas vidas...
Posso ser vingativa sem usar uma palavra
aliada e protegida pelo silêncio
Atacada apenas pelos sentimentos que muitas vezes, desconheço.

Poesias de Hannah Otto

Título Data Com. Vis.
Mães Elementais 27/01/2005 0 93
Dias frios de Janeiro 26/01/2005 1 82
Ouvido para Olvidar 30/01/2005 1 72