Site de Poesias

Menu

Vinte dias de saudade

Como é estranho me deitar sem ter você ao lado
acordar sem ter dormido e no teu corpo não ter tocado
minhas noites viram dias e minha mente não descansa
sonhos e pesadelos me atordoam e a saudade me acompanha

sinto-me um homem por um momento abandonado
carente do teu amor que a mim sempre foi destinado
me revolvo na cama entre os lençóis a sua procura
buscando neles pelo menos a fragrância do seu perfume

mas tudo é em vão e peregrino pela madrugada escura
relembrando o dia da minha partida vendo você me acenando
pedi a Deus que de ti e dos nossos amores sempre cuide
voltei para casa mas ainda assim fico pensando

se eu pudesse apressava o tempo para ver o teu regresso
mas até ele alheio a minha dor parece que me pune
pois até os segundos longe de você são horas intermináveis
vou observando o relógio a espera de mais um dia que clareia

embora quente sejam as noites sem você a cama é fria
amenizo a dor da saudade ouvindo a nossa melodia
poder acordar te sentindo ao meu lado
viver o êxtase de ser amado

ouço a canção e logo desligo o rádio
mas quando acordo vejo um filho ao meu lado
que sentindo minha carência comigo foi solidário
ainda assim meus pensamentos vagueiam

percorrendo a distância que de mim te separa
onde posso ver sua imagem mas não ouço sua fala
mas é quando o dia amanhece que sinto mais tua ausência
é quando percebo o quanto de ti sou dependente

e hoje não foi diferente quando acordei para a realidade
vi que entre as coisas mais simples da vida
era você a minha necessidade
e amanhã quando me levantar para mais um dia de trabalho
onde somente ali sem você eu mostro minha capacidade
vou te esperar convivendo com meus vinte dias de saudade

Compartilhar

em casa esperando as férias da esposa com os netos acabar

Zeca Moreira
13/01/2014

  • 0 comentários
  • 326 visualizações neste mês
  • © Todos os direitos reservados