Site de Poesias

Menu

Chame como quiser.

 Pelas ruas do Cophatrabalho
vejo as árvores passando 
pela janela do ônibus
o tempo passando, o relógio girando
o tempo é curto
Rende frutos se aplicado no trabalho
amargos ou doces, você que escolhe o prato
e assim o tempo vai, vai, vai, vai e vai
se esvaindo, ensinando
alguns maltratando
A vida que passa curta ou a curtição que temos.
Faça que ela valha,
mais que o dinheiro que a entalha
Sem lição de moral, só espalha:
VOCÊ É LIVRE!

Compartilhar
Jefferson Neves Saucedo
09/01/2014