DESABAFO

Estas são as palavras que te escrevo
Vivas de emoção, vindas da dor!
Aqui te confesso o falso enlevo
Das promessas que eu te devo
E das frias juras do teu amor...

Devo no entanto, ser sincero
E falar-te o que sinto dentro de mim...
Porque já sofro e já espero
Esse fim que precinto e que não quero
Mas. que tento aceita-lo mesmo assim.

Sofro não por te perder...
Sofro porque este amor muito cresceu
E aquém depois de ti irei dizer
Que amo! que quero por querer!
Se um dia todo meu amor já foi teu.

Eu sei que a lembrança será o restante
E depois de nós dois distante...
O remorso me fará tristonho.
Eu te serei eterno amante
E tu serás meu eterno sonho.

Guardarei o retrato do teu rosto
Na moldura desse amor que me consome
Na saudade viverei esse desgosto
E nunca mais haverás de ver posto
Escrito junto ao teu o meu nome!

Carlos Cintra
© Todos os direitos reservados