Site de Poesias

Menu

REU CONFESSO

[Ilustração não carregada]

 
RÉU CONFESSO


Não posso mais manter este segredo:
Ato passional perfeito e acabado!
Nele, porém,  não há nenhum pecado,        
Pois crime de paixão eu me concedo!
 
Ilícito de  ardor  imaculado:
Por isso esta infração não me dá medo!
E se a lei apontar-me  com seu dedo,
Eu nunca  aceitarei ser condenado!
 
Quanto a ti, jamais dirão que és culpada,
E se algum dia assim fores julgada
Eu prometo que assumo o crime inteiro!
 
Então me tornarei  um réu confesso,
E sem defesa, sem  qualquer processo,
“Ad aeternum” serei  teu  prisioneiro!
 
 
 

Compartilhar

Protegido pela Lei de Direitos Autoriais. Plágio é crime. Cachoeiro de Itapemirim-ES

Nelson de Medeiros
26/11/2103

  • 1 comentário
  • 85 visualizações neste mês
  • © Todos os direitos reservados
  • Tags: