Site de Poesias

Menu

Razão do Invisível

 
Sinto no silêncio dos nossos versos
Teus olhos que em cotidiana atenção
Ao conteúdo que julgado e imerso
Torna-te ausente a imagem e a visão
 
Noites pós noites, motivos inversos
Desanuviam o disfarce de um coração
Em alusão aos sonhos que dispersos
No vago instante do silêncio da canção
 
Inocência nua surpreendida pelo presente
Com uma insana memória acorda a realidade
Pelas horas que o vazio cresce diante da gente  
 
Quando a cor da manhã indefinida e diferente
Não mais surpreende o que foi desejo e saudade
Tornando tudo inalcançável, além e distante   

 

Compartilhar
Murilo Celani Servo
20/10/2013