Tarde de Novembro

Ainda lamento aquela tarde de novembro
Quando a poesia fugiu de mim.
Tentei encontrá-la no papel em branco
E na tela fria, mas escorregadia, 
Ela desistiu de vir.

Ainda lamento aquele dia
Sem viva arte e sem poesia,
Ao chorar sem alegria,
Quando em novembro, naquela tarde, 
A poesia fugiu de mim.



 

(Mais poesias em: terapiapelapalavra.blogspot.com)
   

 

Gilmar Silva
© Todos os direitos reservados