Site de Poesias

Menu

Comentários da Poesia "Carta à Poetisa Madalena"

de BRUNO

Gostaria de deixar seu comentário?

Comentários

ATENÇÃO: Os comentários aqui registrados não representam a opinião da equipe do Site de Poesias, nem mesmo recebem o seu aval. A responsabilidade pelo conteúdo dos comentários é inteiramente do autor dos mesmos. Ao poeta é reservado o direito de remover os comentários de seus poemas, quando achar por bem fazê-lo.


Sem tempo, estou pouco ausente... Só aos domingos visito o SITE DE POESIAS.


E só hoje vi seu texto bíblico e histórico sobre Maria Magdalena ( de Magadã) . Parabéns pela dedicação do estudo... Já li comentários que Maria Magdalena e Maria Betânia e a pecadora de João 8 seriam a mesma pessoa ( são apenas hipótese )
Porém, gosto de ler, que foi Maria Magdalena a primeira a ver JESUS CRISTO depois que ELE ressuscitou

No primeiro dia da semana, Maria Madalena foi ao túmulo de Jesus bem de madrugada, quando ainda estava escuro. Ela viu que a pedra tinha sido retirada do túmulo

“Ela estava chorando fora, junto ao sepulcro. Estando ela, pois, chorando, abaixou-se para o sepulcro.
E viu dois anjos vestidos de branco, assentados onde jazera o corpo de Jesus, um à cabeceira e outro aos pés.
E disseram-lhe eles: Mulher, por que choras? Ela lhes disse: Porque levaram o meu Senhor, e não sei onde o puseram.
E, tendo dito isto, voltou-se para trás, e viu Jesus em pé, mas não sabia que era Jesus.
Disse-lhe Jesus: Mulher, por que choras? Quem buscas? Ela, cuidando que era o hortelão, disse-lhe: Senhor, se tu o levaste, dize-me onde o puseste, e eu o levarei.
Disse-lhe Jesus: Maria! Ela, voltando-se, disse-lhe: Raboni, que quer dizer: Mestre.
João 20:1-16”
PARABÉNS GRANDE POETA E CONTISTA.

Errata:

O "mas não tem" que
aparece no final do meu
extenso comentário
deveria estar em seguida ao
"caracteriza como uma pessoa"
bem acima...

Nem sei como foi parar lá embaixo:

mistééééério...

Não tinha lido esse texto...

A princípio devo dizer que
nos pergaminhos mais antigos
esse texto da mulher adúltera
não existe!

Ou seja, de João 7: 53 a
João 8: 11 vê-se uma história
no mínimo duvidosa!

Para mim já é o bastante, pois
se você tiver um exemplar antigo
vai ver esse texto entre "colchetes".

O fato é que existe muitos textos
ou fragmentos entre colchetes:

Em Mateus 5:22, por exemplo,

"Eu, porém, vos digo que qualquer que [sem motivo] se encolerizar contra seu irmão, será réu de juízo; e qualquer que disser a seu irmão: Raca, será réu do sinédrio; e qualquer que lhe disser: Louco, será réu do fogo do inferno.

onde se lê "sem motivo" não
existe no original.

Ocorre que copistas/comentaristas
crendo que não era possível que
alguém jamais odiasse acrescentou
o adendo "sem motivo"no rodapé,
porém mais tarde foi incorporado
ao texto, maculando, assim,
as palavras de Yeshua!


Outro exemplo clássico
encontra-se na Epístola
de João (a primeira),
Capítulo 5: 7 e 8:

"7 Porque três são os que testificam [no céu: o Pai, a Palavra, e o Espírito Santo; e estes três são um.
8 E três são os que testificam na terra]: o Espírito, e a água e o sangue; e estes três concordam num".

Nesse caso o comentário que
acima encontra-se entre colchetes
nas traduções mais antigas e
fidedignas visava justificar o
embuste da trindade, pilar da
igreja de Roma.

Geralmente essas "emendas" visam
defender mentiras e, nesse caso
em especial, 90% do Cristianismo
engoliu essa mentira deslavada,
pois D'us é Um só!
Assim, ao adorar a força que
D'us e Yeshua, Seu divino Filho,
enviam para convencer o homem
do pecado, da justiça e do juízo,
estão praticando idolatria, pois
se o Espírito fosse D'us, então
teria vontade própria e não tem.
Por outro lado, teria, também,
um nome pessoal o que lhe
caracterizaria como uma pessoa,


Os Cristãos carecem de verdadeiros
mestres ilibados e de conduta
moral idônea.

Quanto à Maria Madalena é
notório que ela não era casada,
portanto se ela tivesse sido pega
fazendo sexo com outro homem
o nome seria "fornicação" e não
adultério,
mas a história não tem força
porque a Lei era clara:
tanto o adúltero quanto a adúltera
deveriam ser apedrejados juntos.

Onde está o adúltero na história
de João 8?

Mistééééério...

Ótima Epistola, meu amigo!
mas não tem.

Bruno esse texto é belíssimo, é uma história verdadeira
é uma história que me toca muito
a uns dias atrás criei uma perfil novo no Facebook
um cantinho de oração,para os amigos oprimidos angustiados,
decepcionados,enfim um cantinho que possamos estar mais
perto de Deus nosso criador
e quero te convidar a aceitar meu convite
você será sempre bem vindo
é só procurar no face meu nome miller eliane e enviar um convite de amigos ok

você esta de parabéns meu amigo...
Deus sempre abençoe você nessa caminhada
você nunca estará sozinho Deus é contigo

bjos no coração...
p...d...

Concordo com todos os elogios, mas não me espanto mais com o brilhante talento de Bruno. De pé também eu o aplaudo. Abraços !

Meu, muito querido amigo:

Poucas pessoas existem que, igual a você, podem ser consideradas uma enciclopédia viva.
Desafiar a vossa inteligência e conhecimento é, senão uma batalha perdida, ao menos, uma perigosa aventura. Sendo porém, contudo, uma grande oportunidade de mais aprender.

Então, vamos lá:

Na verdade, é exatamente sobre isso que eu estava falando. O papel que antigamente cabia aos membros dos concílios, hoje é relegado aos teólogos modernos, ou seja, o de sedimentar entendimentos, estabelecendo os novos dogmas das religiões. Na verdade, a bíblia não fala que Madalena tivesse uma vida licenciosa. Apenas menciona que Jesus expulsou dela, sete demônios, conforme o mencionado no Evangelho de Lucas e que ela, após esse episódio, passou a segui-lo. Não havendo na literatura bíblica, nenhuma referência negativa à índole ou ao estilo de vida dela. Deveras, o simples fato de que Madalena possuísse sete demônios, não a classifica necessariamente como mulher uma mulher promíscua, muito menos como prostituta,visto que ao longo de toda à narrativa bíblica, também esteve satanás presente em tantos outros homens e mulheres de virtude inquestionável, tal qual foi com Pedro, quando Jesus o repreendeu em Mateus16:23: “ Para trás de mim, Satanás, que me serve de escândalo;”
É bem verdade que Madalena apresentava um quantitativo um tanto maior de obsessores; que, entretanto, nem de longe, poderia ser comparado ao “endemoniado de Gadara”, pois aquele, possuía tantos demônios que se faziam chamar “Legião”, tantos que, ao sair do infeliz possuído, tomaram à toda uma vara de porcos.
A conclusão de que Madalena tenha sido uma mulher promíscua e libertina não é, portanto, fruto de conhecimento científico, tampouco empírico, senão fruto da concordância da maioria dos estudiosos, sem apoiar-se, deverás, num embasamento histórico e concreto.
Tampouco, a mulher que untou os pés de Jesus e enxugou-os com os próprios cabelos, foi Madalena. Na verdade, Maria de Betânia, irmã de Marta, tia de Lázaro, foi a verdadeira protagonista desse episódio.
Outras Marias tiveram participação importante na trajetória do Mestre e estão graçadas no texto evangélico. Também, outras, que não marias (cujos nomes não são citados), gentias, samaritanas, prostitutas... mulheres, enfim.
Com o tempo, porém, a cultura popular, antes mesmo das convenções teológicas, tendeu à personificá-las todas, numa única e cativante personalidade, pacificando o entendimento de que Madalena fosse a devassa prostituta que, arrependendo-se de seus pecados, converteu-se totalmente à serviço do Mestre.

Madalena, ao longo da história (não apenas da história cristã, mas da história do mundo), polarizou as atenções de diversas correntes religiosas, filosóficas e ideológicas.
Da Vince, por exemplo, retratou subliminarmente Madalena, no famoso quadro “A Ultima Ceia”. Tal representação não foi ao acaso, mas encontra-se carregada de significados subliminares, comuns à vertente de sociedades que perpetuam a cultura do “sagrado feminino”.
Também os Rosa Cruzes, a linhagem francesa dos Reis Merovíngios, algumas sub-ramificações dos antigos Essênios e um outro tanto de seitas sociedades antigas e secretas, gravitou em torno do icônico personagem, apoderando-se do seu enorme magnetismo, inserindo-o em sua dogmática mitologia.

Grande e carinhoso abraço meu querido amigo!

Estou gostando muito das suas cartas, sábio poeta. rs Além da sabedoria contida no texto, é uma justa homenagem à poetisa, que tem este nome maravilhoso e cheio de significados.
Parabéns! Grande abraço!

Caro amigo e nobre poeta o texto tem um significado histórico muito importante e esclarecedor se levarmos em conta os métodos que jesus usava para pregar e ensinar aos seus discípulos de como cumprir os mandamentos deixados por deus. Maria Magdalena é citada pelos teólogos modernos como um personagem que foi “usado” no bom sentido por jesus para demonstrar ao povo judeu e aos seus discípulos qual era o verdadeiro significado da sua (misericórdia). Maria Magdalena tinha uma vida desregrada, vivia na luxuria cercada de muitos bens materiais, porem seu coração e o seu espirito estava vazio. Quis Magdalena por bem e de livre e espontânea vontade conhecer os ensinamentos daquele homem chamado jesus e acabou por aceitar seus divinos conselhos tornando-se assim um símbolo do arrependimento e da misericórdia de jesus. O texto registrado como um “desgravo” é apenas de cunho pessoal e de (jurisprudência) do autor, atitude esta que devo aplaudir sonoramente e em pé. Abraços fraternos.

J.A.Botacini.

Zezinho.

Bom dia BRUNO.
Começemos um dia com um brinde, tim, tim.

Bebi na taça da sua sabedoria e me embriaguei!
Aguardo convite para uma próxima bebedeira e que eu me deleite nesse encantamento.

Voltar à poesia