Site de Poesias

Menu

Madrugadas Vazias


As madrugadas vazias...
Essas madrugadas solitárias e vazias...
Velhas e inseparáveis companheiras, a tanto, tão intimas.
As longas horas em que o silêncio é absoluto e absurdo.
Observo impotente o lento progresso dos ponteiros do relógio.
Seu avanço relutante se recusa a permitir que o tempo passe, me negando o beneficio do amanhecer... só aumenta a minha solidão.
O tempo não passa;
A vida não passa;
A tristeza não passa!

Compartilhar
BRUNO
13/08/2013

  • 8 comentários
  • 400 visualizações neste mês
  • © Todos os direitos reservados