Anjo Mau



Anjo Mau
22/06/2013
 
 
Existe um anjo mau
Que habita em mim,
Um anjo estranho,
Não é um querubim.
 
Ele rir da minha dor
E zomba dos meus sonhos,
Me segue, me persegue
Como se fosse minha sombra.
 
Mexe em minhas gavetas,
Torna a remexer
E me faz lembrar tudo aquilo
Que eu desejo esquecer.
Ele me obriga a falar um nome
E a dizer coisas infames,
Propõe atos de maldade,
Traz de volta a saudade.
 
Fala a todo o momento
Que já passou o meu tempo
Coloca um espelho diante do meu rosto
Me ordena chorar de desgosto
E novamente rir.
 
É contrário a minha alegria
E insiste
Que eu seja triste.
Perturba meu sono
Enchendo-o de pesadelos,
Inquieta
Minha alma poeta,
Destila veneno
Em meu mundo pequeno.
Quando o chamo
Ele se esconde
Não sei onde.
 
Existe um anjo muito mau
Que habita em mim,
Irônico, mordaz,
Rir da minha coragem
Em cada recomeço
 
Da minha viagem.

Nair Damasceno
© Todos os direitos reservados