Site de Poesias

Menu

"Está escuro"

 

 
Está escuro”

 
Cheguei a sentir o gosto do sangue,
cheguei a sentir a lâmina quente.
Chorei ao matar o sonho da gente,
chorei ao pensar o quão fora inocente.

 
Até mesmo a solidão me tratou com desprezo,
até mesmo a última opção me brindou com seu menosprezo.
De fato o que sei é a falta de amigo,
de fato o que digo é que sempre corro perigo.

 
Deixei de pedir a minha indevida salvação,
parti para irromper o limite da percepção.
O medo de não ver abrilhanta minha coragem,
a cartilha fácil de entender é herança de minha linhagem.

 

 
Marques Corrêa

 

Compartilhar
Marques Corrêa
16/07/2013