Veia poética

Veia poética

A mente fervilha
Em dogmas e fantasias
Fagulhas elétricas
Que armazenadas
Brilham em poesias...
 
Energias latentes
Pestanas chamuscadas
O sangue perene
Artérias dilatadas
Versos a jorrar...
 
Moinhos de vento
Moem pensamentos
O tempo a girar.
Palavras desmedidas
Versos a chorar...
 
Asas do tempo
Poemas alados
Soltos no ar.
Poetas inspirados
Versos a planar.
 
J.A.Botacini
 
21/04/2013

Um olhar linear pode chegar muito longe,
mas um olhar olho no olho pode perceber
coisas que estavam bem perto de nós e que
nunca havíamos notado antes.

Obrigado pelo carinho da visita ao sair deixe um comentário ou uma simples critica.
Jose Aparecido Botacini
© Todos os direitos reservados