Site de Poesias

Menu

Procura

[Ilustração não carregada]

 Eco, porque repete minha voz?

Eu não procuro palavras, procuro apenas sonhos dormidos nas águas, nas estrelas

na solidão de campos sem borboletas nas hastes verdes do arrozal.

Procuro a flor azul que quarda em suas pélalas orvalhos de cristal.

Minha sina é procurar, feito pássaro livre que procura o fim do mundo,

o eco nas cisternas nas grutas onde o silêncio reina absoluto.

Procuro a rosa guardiã do tempo, o pêndulo do silêncio das horas

no giro das asas do vento, que perfuma a alma das flores.

Procuro por passarinhos pelos dourados caminhos...

Eco, porque repete minha voz?

eu não procuro palavras...

Cristiane Coradi.

Compartilhar

Tudo se encontra nesta bruma...
a luz habita em mil esconderijos sinos vibram em seus cântigos
nas imensas rodas do dia.

cris coradi
07/06/2013

  • 7 comentários
  • 229 visualizações neste mês
  • © Todos os direitos reservados