Site de Poesias

Menu

INFINITO AO AVESSO


Colossal fundura
Uma fossa abissal
Infinito ao avesso
Pela falta de acesso
E possesso
É o homem neste seu
Retrocesso
Não se volta às estrelas
Com o seu sonho perverso
Viaja ao sumidouro profundo
Para a imensidão do escuro
Infiel obscuro é seu futuro
Que se tornou para ele fel
E da Terra erma
Alcança agora a esmo
O seu parco quinhão

www.hserpa.prosaeverso.net

"Não é o lugar em que nos encontramos nem as exterioridades que tornam as pessoas felizes; a felicidade provém do íntimo, daquilo que o ser humano sente dentro de si mesmo' Roselis von Sass – www.graal.org.br

Compartilhar
HSERPA
23/05/2013

  • 1 comentário
  • 219 visualizações neste mês
  • © Todos os direitos reservados