Site de Poesias

Menu

AMOR TÍMIDO

 

desço para ela uma estrela 
que caiba na palma da mão 
reluzente e iluminada 

faço uma escada para o céu 
para ver do alto as planícies 
os cimos das montanhas e os vales 

das nuvens de algodão 
vislumbre os passantes 
minúsculas formigas andantes 

daria asas para atingir alturas 
nadadeiras e fôlego de peixe 
para mergulhar no oceano fundo 

tudo posso na imaginação 
e numa folha de papel 
falta-me apenas o seu olhar 

passa altaneira indiferente 
sequer nota a minha presença 
ah, se soubesse do que sou capaz 


olharia mais atenta 
sorriria para mim 
seria dama do meu mundo 

criado

mimado 

só para ela... 

 

08/02/2009

 

Compartilhar
EDILOY A C FERRARO
12/04/2013