Site de Poesias

Menu

Ser!

Que história louca,
essa que... árvore tem cabelo.
Banalidade uma coisa dessas.

 
Serás loucura?
Bem que seria legal.
Quem sabe um pesante?
 
Sem saber como aconteceu.
Todos veem
aquela obra.
Ansiosos e afoitos apenas
[ouvem.
 
Confundem a um ser.
Se cabelos tens,
por que não boca,
orelhas e olhos?
 
Nossa... criação de Deus?
Monstro terrestre?
Socorro...
Conto os dias,
mas parada prossegue.
 
Olhos se voltam aos seus olhos.
Ouvidos se voltam a sua boca.
Mas nada se ouve,
nada se escuta,
a não ser a leve brisa
que transparente penetra
no ambiente mágico.
 


Murilo Mattar

Compartilhar
Murilo Mattar
28/03/2013