Site de Poesias

Menu

Mulher amada.

[Ilustração não carregada]

Descerre tuas vestes minha amada
pois sua beleza já não cabe mais dentro delas.
Do candelabro que se finde a luz das velas
para que na penumbra eu possa contemplá-la.
O quão dantes meus olhos foram tolos
pois me furtaram do prazer de desejá-la,
tão agradáveis são os néctares de tua boca
que a mais bela das rainhas poderia invejá-la.
Porem vos digo nestes momentos de gloria
sob este céu cravejado de brilhantes
que jamais irei esquecer-me de amá-la.
Que minhas vestes fiquem buidas pelo vento
e meu corpo fragilizado pelo tempo
eu ti prometo minha doce mulher amada
que ainda assim, terei forças para abraçá-la.
 
 
 
 

Compartilhar

Obrigado pelo carinho da visita ao sair deixe um comentário ou uma simples critica.

Jose Aparecido Botacini
22/03/2013

  • 10 comentários
  • 440 visualizações neste mês
  • © Todos os direitos reservados