Site de Poesias

Menu

"gomo-goma na suíte do bar da guercia"


Noutros tempos, a bizarrice esdrúxula acontecia no segredo de quatro paredes. Com segurança na porta pra não deixar nenhum “escarnecedor” entrar.
 Hoje em dia, porém, com o advento do celular que grava e da internet, a macaquice da glossolalia cacofônica está disponível às pessoas menos crédulas.  Depois então que inventaram a pausa, dá até pra transcrever o que eles arpejam durante o frenesi pseudo-religioso.
 
Que eles estão tomados pelo espírito, eu acredito.  Mas que espírito é esse, eu deixo à conclusão a que cada um quiser chegar.
 
Abaixo, a transcrição de algumas manifestações do “dom de línguas”.
 
Se alguém estiver duvidando, e quiser tirar a prova real, por conta própria, é só avisar que eu mando o link dos vídeos.
 
São muitos... esse é apenas um!
 
“_Na mão que di o sinhor condice a car... lô remenequesongo mene a vacia... estômago do conde semente kyo landio com os mergui e o que sai... hooomen eu te digo e te queime de voz dedecai...  e digo conde bebe e some de quem come índia... rebondeau Cassi labagon menicieau... raaaar... gomo-goma na suíte do bar da guercia... que ainda no mundo anal com debedé de Kia va-se-á... recebe agora o que tenho eu guarrdiola Maradona de peteca... Hôoo... malacachorra, malacaxeta, malacaxa... Hô lalalaririri, lalalararara..."

Compartilhar
BRUNO
08/02/2013

  • 3 comentários
  • 186 visualizações neste mês
  • © Todos os direitos reservados