Despertar


Quando te vi
Pela primeira vez
Nada enxerguei
Cego, aturdido que estava
Em outras buscas
Olhando
Em todos os lugares errados
 
E demorou para que eu soubesse
Demorou demais para que eu percebesse
Quão perdido eu andava
Sozinho e adoentado
 
E então
Foi como um amanhecer de verão
Uma luz que nasce, cresce, e invade o dia
Num despertar gradual
Meus olhos abertos estarrecidos
Sim, cheios de estrelas
Que te acompanham aonde vais

 

Uriel da Mata
© Todos os direitos reservados