Consumado

 Na exatidão dos fatos desalinhados 
Teu caminho tropeçou no meu
Deus nos inaugurou, o Diabo nos promoveu
A minha língua casou com a tua 
Teu cinema com minha música;
Meu signo com tua lua;
Nossos pedaços, nossos retalhos,
Nossas milhas e trilhas já prometidas
Para serem ciganeadas juntas
A gente se respira e se inspira
O platônico, consumou-se!