Site de Poesias

Menu

Silêncio Poético.

[Ilustração não carregada]

Poetas sentam-se nas cadeiras de vime, marcando o tempo com esses inocentes momentos.

Passam horas olhando as tranças da lua, num jogo de sombras duas, em duas.

Ao redor paredes seculares, e na alma etéreos ventos.

O sono transpira pelas vidraças feito um grande espelho de prata.

Os poetas reparam em cada detalhe, quase não falam nada.

Talvez sem coragem de acordar as rosas da noite

que suspiram assustadas com aroma de pimenta e cravos.

Deus permite que aconteçam esses momentos, para saberem

que a poesia está viva, como a música, e falar não é preciso.

Deixam a sala em silêncio e serenos,e se perdem na noite iluminada.

Cristiane Coradi.

Compartilhar

Ouço vozes de rosas assustadas suspirando
talvez em sonhos seus suspiros se confunda com amores.

cris coradi
20/12/2012

  • 5 comentários
  • 125 visualizações neste mês
  • © Todos os direitos reservados