Site de Poesias

Menu

Janelas Refletidas

  

Meus olhos são como janelas
Que investigam o mundo
Veem a face de todas as coisas
E as metades da metade de tudo.

 
Enxergam por transparências
Penetram na alma e nos porões
Captam a sensibilidade da luz
Divisam no escuro a morbidez a sensatez e as sensações.
 
Contemplam a beleza das cores
Dos horrores e dos vitrais
Refletem as imagens sinuosas
Da natureza, do dorso, da miséria e do mais.
 
Fulminam os maus olhares
Cativam o teu olhar
Espelham o céu e o beijo
No reflexo anil do mar.
 
Mais textos em:   terapiapalapalavra.blogspot.com

Compartilhar
Gilmar Silva
14/12/2012