Site de Poesias

Menu

Alma Preta

 Se alma tive cor, prefiro que a minha seja preta

Preto é guerreiro
Forjado no cativeiro,
Mesmo hoje nas senzalas capitalistas.
Quero pra mim
A essência da Escrava Anastácia
Que mesmo sobre os açoites do Feitor nunca se curvou.
Uma  alma preta
Com os versos de Abdias
E sem duvida ele diria: ’em cada coração de negro há um quilombo pulsando’.
De Dandara nossa guerreira, a fibra,
De uma mulher companheira
Que sempre se pôs a lutar na defesa de Palmares.
De José do Patrocínio, O Tigre do Abolicionismo,
A consciência de quem sou
Que minha metade livre
Ou uma pele clara
Não me cale ou me amarre e me impeça de lutar.
A alma de Negro Cosme, o Imperador da Liberdade,
Me levando pela cidade numa ousadia militante
Mostrando-me o mundo diferente de antes e com orgulho de quem sou.
Se alma tiver cor, que a minha seja preta
Como a de Carolina de Jesus,
De Zumbi dos Palmares,
E de tantos outros como Aimé Césaire.
Se alma tiver cor
Quero a minha alma preta,
Não é que não gosto das outras cores
Mas é porque a cor preta é a essência dos lutadores.

Compartilhar
Vitoriano Bill
18/11/2012