O MUNDO

Certa vez eu deparei

com um velhinho corcundo

e ele falou pra mim

eu sou o velho mundo.

 

sou aquele que muitos me tascam

de tudo o que há de ruim

eles praticam o errado

e põe a culpa em mim.

 

falam que o mundo é triste

que este grande velho não tem o que dar

mais eu lhe dou tanto espaço

e duas estradas para caminhar.

 

os tais que me acusam

seguiram a estrada de espinhos

e os que me elogiam

seguiram a estrada de jasminho.

 

se você é um bom sujeito

sua estrada é alegre e prossa

mas se escolheres o mal

terás uma estrada horroroza.

 

eles não podem culpar-me

são ingratos e infíeis

Eu um velho extenso

Atirado aos seus pés.

 

O mundo não manda

matar, roubar e se drogar

nem ser corrupto e falsário

nem fazer o que não convém.

 

alguns colocam bombas no corpo

pensando fazer o bem

além deles se matarem

matam os outros também.

 

e as bombas nucleares

é  um evento que acaba

com os humanos em segundos

a humanidade se vai e eu fico. Sou o Mundo.

 

Não pensam nos animais

do pequeno ao grande porte

não pensam nos rios e nas matas

todos vivem sofrendo e condenados a morte.

 

para encurtar a conversa

o mundo falou pra mim

estou velho de ver maldades

com tantas calamidades, todos só culpam a mim.

 

muitas vezes sinto pena

dos que falam mal de mim

quem criou foi o bom Deus

e Deus não faz coisa ruim.

 

Ivete Barros 

escrito em 10 de novembro de 2009.

Ivete Barros
© Todos os direitos reservados