Site de Poesias

Menu

Amor de crianças (ato dois)

[Ilustração não carregada]

Quando o dia pra mim amanhecia
minha alma era toda uma alvorada.
Ela passava... Sorrindo dizia,
-Um dia serei sua namorada.
 
Minha face corava, meu coração sorria,
suas mãos acenavam pela calçada,
-Vem ver o sol vem... Esta um lindo dia,
vamos juntos contemplar a passarada.
 
Vem ver o vento brincando pelas ruas,
redemoinhos de carinhos que ele entalha,
sinta o calor das minhas mãos nas tuas,
e toda a luz que ao nosso redor se espalha.
 
Não valorizei aquele amor de criança,
nem a sublime grandeza daquela hora,
enquanto ela sorria cheia de confiança,
eu partia levando seus sonhos vida a fora.
 
Hoje estou abandonado sem rumo, sem bonança,
rogo e imploro para que um dia ela volte,
e conceda a mim o perdão e a esperança...
Sozinho quedo-me no umbral da minha sorte.
 
  Imagem do Google

Jose Aparecido Botacini.
07/11/2012
 
 

Compartilhar

Obrigado pelo carinho da visita ao sair deixe um comentário ou uma simples critica.

Jose Aparecido Botacini
07/11/2012

  • 8 comentários
  • 250 visualizações neste mês
  • © Todos os direitos reservados