Site de Poesias

Menu

DOR nossa de cada dia

[Ilustração não carregada]

Para aqueles que tanto esperam
tanto pedem
tanto creem
tanto erram
Meu braço estendido, segure minha mão
pra que possamos trocar a dor
nessa energia que virá em circuitos
de mim pra ti e vice-versa
dividamos nosso corte
nosso pão amargo e carne pútrida
é o que nos alimenta hoje ...
E o que nos acaricia? Um chicote sádico?
Minha revolta é a hardcore cujas asas são negras
Peça por mim que eu peço por você
Ninguém quer saber dos nossos arrependimentos
nosso pior engano, somos falhos
somos crédulos e masoquistas
nossa dor é viral e implacável
ela nos tomou e nos violou
e o alcance da nossa visão era curta
Meu coração também sangra
minhas lágrimas também salgam
minha desesperança também beija
Chore por mim que eu choro por você
Hoje o dia ainda será longo, mas amanhã, ainda bem
tudo poderá se anestesiar ... Ou não!

Compartilhar

Obrigada por me ler, prazer, sou Elisa!
Os velhos amigos serão sempre bem vindos!

Elisa Gasparini
24/09/2012

  • 6 comentários
  • 704 visualizações neste mês
  • © Todos os direitos reservados
  • Tags: