POEMA ARACNÍDEO


Teço uma enorme teia
Como uma sagaz aranha
Que tua mente entoteia

Para brincar com a luz
Levemente tremo as patas
Que o sol em frestas seduz

O reflexo é minha palavra
Que te atrai subjetivamente
Para minha nova lavra

Iludo teu corpo, tua mente
E no bojo da minha entranha
Leve, cais definitivamente

 

 
© Fernando Tanajura


 


Fernando Tanajura
© Todos os direitos reservados