Site de Poesias

Menu

CANETA

 
CANETA
E o que seria do mundo sem os seus registros
Talvez, não conheceríamos, os feitos...dos mitos
Talvez, não tomássemos consciência de ritos
Talvez, deixássemos de ter conhecimento infinito
 
Comecei com uma pedra a moldar meus primeiros escritos
Meio aflito, empunhei uma pena e tentei desenhar ...
Do giz de cera ao lápis desenhei o que imaginei mais bonito,
sem medo de errar,propus um mundo novo de paz e amor...sem conflitos!
 
Hoje tenho consciência que minhas ações devem ser mais concretas
Vejo a vida se mover como os pedais da minha bicicleta
Ora lenta, ora veloz, mas, do papel sairão lições mais corretas
Que darão equilibrio a velocidade do mundo, voltando-se todos para uma mesma meta
 
E como imaginar um mundo ideal  se te deixar repousada em uma gaveta
Para ver esse mundo descortinar, de forma competitiva, como um atleta..
Basta fazer meus apontamentos, para alguns, bem caretas
E deixar que a história da vida se faça partir de um pingo de tinta de caneta.

Compartilhar
Luciano Martins
08/07/2012