Site de Poesias

Menu

Mas é comigo que devia estares - Soneto

E na escuridão

Só me resta um travesseiro

Que abraço e sinto o cheiro

Da ultima vez que me deitei e toquei tua mão


Rimos juntos, rolamos no chão

Nos beijamos entre as gotas do chuveiro

Pra tê-la mais uma vez, daria o mundo inteiro

Mas ja é tarde, palavras ao vento, em vão


Agora ando pelas ruas

Vivo nos bares

Olho as fotos tuas


O que fiz? joguei tudo pelos ares

Em Júpiter buscaria as quatro Luas

Mas é comigo que devia estares.

 

Compartilhar
Pedro Martins Passarelli Manso
26/05/2012