Site de Poesias

Menu

Sétimo Céu

[Ilustração não carregada]


 

 Fogo do céu,

 Cometa cigano.

 Alma do universo.

 Oração de verso de estrelas.

 Notas de músicas.

 Dedilham teclas de um piano.

 Na distância, ecos da memória.

 Qual dúvida, qual interrogação.

 E ser seria mera exclamação?

 Ou tudo se resumiria num ponto,

 Um único ponto.

 Onde o obscuro,

 Explodiu em fragmentos de luzes.

 Galáxias perdidas, sóis brilhantes,

 E transborda o pulsar de um coração.

 Criaturas perdidas do Criador.

 Não é necessário o paraíso,

 Não são necessários os infernos.

 Mas são urgentes as asas,

 É preciso não perder o céu,

 Asas do vento, velas de brisas,

 A música sussurra,

 Os sentidos são todos em um.

 E silêncio conta seus segredos.

 E o vazio já se diz pleno.

 E o ínfimo,

 Por um instante foi eterno.

 E brincou, riu-se,

 Ganhou lágrimas de alegria.

 Curvou-se, dobrou os joelhos,

 E solitário orou... 

Compartilhar

29/04/2012