Irreal


Era pra ser um relacionamento, um namoro, um algo normal...
Era pra ir ao cinema, passear no parque, tomar sorvete de chocolate...
Era pra me fazer sorrir quando estivesse triste, mandar uma mensagem quando me sentisse sozinho...
Era pra me acompanhar nos eventos sociais, festas e afins...
Era pra ocupar minhas tardes de domingo, simplesmente por ficar em casa...
Era só uma menina perto de mim...
Agora é grande parte de tudo o que tenho...
Agora teu sorriso não me foge da mente, o beijo me aquece só de pensar...
Agora imaginar em ficar sem você apavora meu viver, tudo vira solidão...
Agora me completa só por existir, me toma e me tem com um simples olhar...
Agora não dá pra esconder, só posso deixar a paixão florescer...
Agora é o que temos pra hoje, e é muito pra nós, pois não dependemos dos outros...
Agora me basta saber que meus dias são pra você, que meu canto ecoa seu nome...
Agora percorro os caminhos que me levam a você sem hesitar...
Agora só posso esperar da sua voz doce...
...eu quero te amar!

São Paulo, 08 de abril de 2012.

Carlos Eduardo Fajardo
© Todos os direitos reservados