Site de Poesias

Menu

Lágrimas ao vento

Olho da janela
Fico imaginando minha vida
Já não sou mais o mesmo
Tudo está ficando distante
Outras coisas estão se aproximando...
Uma lágrima desce em meu rosto
O vento se encarrega de secar
Não existe mais o meio termo em minha vida
Qual decisão a tomar?
Hoje descobri que ontem já era
Que hoje não está valendo
Amanhã ainda não sei
Agora, minha vida está morrendo.
Hoje descobri o quanto estou só
O quanto preciso de alguém
Olho pros lados tentando achar
Pro meu desespero não acho ninguém.
Estou me sentindo tão pequeno
Como uma formiga vestida de calça e camisa
Carregando o mundo nas costas
Sem ninguém pra ajudar quando se mais precisa
Hoje está passando
Com a minha vida que já passou.

Eduardo Vieira

Compartilhar
Eduardo Vieira
07/11/2005